Fui contactado por um funcionário da Amnistia Internacional em Portugal, com quem falei sobreo meu engajamento humano, relativamente aos direitos e necessidades de milhares de pessoas e o individuo,interrompe e diz: peço desculpa por interromper o fôlego do seu discurso acerca do humanismo mas nós queremos é dinheiro.